Translate

domingo, 26 de abril de 2020

CIDADE DO PRESENTE E DO FUTURO É INVESTIR EM GENTE.

Rapper Pirata
Analise esses dados e perceba que não há crise e sim interesse politico sempre, a projeção de arrecadação para 2020 de R$ 69 bilhões a cidade desde março gastou menos de R$ 1 bilhão com ações emergenciais.
Vamos aos dados:
Investimentos da prefeitura de São Paulo até o mês de a R$ 523 milhões na área da saúde.
Assistência social aumento de abrigo para população de rua e distribuição de cestas básicas e marmitas R$ 46 milhões . Serviço funeral limpeza e enterros R$ 37 milhões.
Sistema de transporte reduziu a demanda 70 % e oferta em 50% oferta de cota de R$ 100 milhões para as empresas em questão da redução de jornadas.
São 750 milhões de reais e a receita no inicio foi de R$ 14 bilhões março.
Informações do secretário de Finanças da cidade, Philippe Duchateau para Comissão de Finanças e Orçamento, Câmara de Vereadores SP em live na quarta feira 22 de abril. Não há crise porque a cidade tem a projeção de recurso de R$ 69 bilhões, mesmo se for de R$ 60 bilhões, e havia no ano passado um superavit de R$ 2 bilhões em 2019. A cidade não perde quando investe em sua população.

domingo, 19 de abril de 2020

CESTA PACIÊNCIA BÁSICA NÃO GARANTE DIREITOS AOS POBRES



Rapper Pirata

Nós que somos da classe trabalhadora (movimento hip hop) temos que alertar e cobrar as instituições públicas que não queremos como politica de estado somente a distribuição de cestas básicas, porque se for isso não se precisa do estado para esse fim. Devemos exigir soluções com o financiamento público para a vida vinda do estado nesse momento, porque o dinheiro do estado não deixa de ser nosso. Cestas básicas são formas de enganar as pessoas com a caridade, essa projetada pelo início do estado brasileiro com o assistencialismo da igreja que mantinha nossos ancestrais na miséria absoluta. A politica da Assistência Social avançou para garantia o acesso aos direitos fundamentais, que são base para a divisão das riquezas do estado, principalmente nesse momento de agonia. Reforço que o dinheiro público inicia se pelo cidadão aos contribuir de várias formas pensadas por economista para a arrecadação, sua distribuição hoje e sempre deve ser para garantia da vida em toda sua estrutura no cotidiano da nação, justifica a existência do estado democrático republicano. Exigimos soluções estruturantes com essa realidade que se firma no momento, e não caridades fakes que faz para os recursos públicos continuarem sendo minados para 0,99 da população. Porque escrevo isso? Por perceber que impondo um falso debate da fome para esconder as responsabilidades efetivas do estado para sua população.