Translate

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Subcomissão de Cultura



Ainda nesta quarta-feira (4/09), foi realizada reunião da Subcomissão de Cultura, vinculada à Comissão de Finanças e Orçamento. Foram abordadas dificuldades de navegação na página de Transparência do Portal da Prefeitura de São Paulo. E meios para tornar a checagem de informações mais fácil e acessível ao público, ampliando o controle social dos investimentos na área.

O segundo tema tratado foi o Seminário Municipal sobre o Plano de Cultura, que deverá ocorrer no final do mês de setembro, na Câmara Municipal. Segundo a presidente da subcomissão, vereadora Soninha Francine (CIDADANIA23), o evento pretende auxiliar na construção dos indicadores da política municipal de cultura.

Para a vereadora, somente a partir do estabelecimento de indicadores será possível regionalizar a execução do orçamento na cidade. “O seminário visa debater alguns pontos que não podem ser implantados sem maiores discussões, como, por exemplo, o sistema de indicadores, que precisa ser construído. E quanto mais contribuições, principalmente dos agentes culturais, melhor”, destacou Soninha.

A realização do seminário, contudo, foi criticada pelo rapper Pirata, integrante do Fórum do Hip Hop Municipal SP. “O principal problema não é a discussão do Plano Municipal de Cultura, mas a sua execução. É por isso que insistimos na criação dessa subcomissão, para facilitar o diálogo entre a secretaria e os movimentos, para que a política pública cultural seja executada”, criticou Pirata.

Também participaram da reunião os vereadores Alessandro Guedes, Isac Félix e Rodrigo Goulart.         http://www.saopaulo.sp.leg.br/blog/audiencia-debate-projeto-que-permite-retirada-de-arvore-sem-aval-da-prefeitura/

sábado, 22 de junho de 2019

TAPECEIROS SP



RAPPER PIRATA


O governo Dória barra Covas demonstra se ineficiente, isso é a antítese da essência do discurso deles, ser eficiente como uma empresa, só esquecem que empresas têm sua falência também.

A prefeitura de São Paulo com seus secretários da fazenda e governos fizeram em três anos uma economia de R$ 10 bilhões para os cofres públicos, para que essa fortuna? Ela não é oriunda de privatizações prometidas, e sim de pagamentos dos cidadãos pela via de impostos na lógica de viabilizar a gestão da cidade. Para mascarar a dinheirama o governo paulistano vocífera na mídia de massa as tais crises e congelamentos, algo superado desde 2008. Para lógica administrativa do estado liberal eficiência é saber gastar a grana pública com políticas ideais que creem o tal grupo no poder crê serem viáveis aos cidadãos, e não ter grana em caixa. O direcionamento do orçamento público é politico.

O plano de governo da prefeitura em quatro anos, que fora o menor da história atual, tem somente 53 metas. Se analisamos com mais criticidade perceberemos que ações efetivas necessárias, se abaixaria para uma vintes poucas. Ele é plano de metas com muitas propostas tipo plataformas virtuais, motivação de público, mobilidade e outras coisas fáceis de se realizar, mesmo assim não realizaram até agora. Essa gestão se finaliza agora em agosto, pela lógica econômica, porque a PLDO 2020 já está sendo elaborada.

Eles não tem mais tempo de concretizar as obras estruturais, assim tornam se tapeceiros de obras virtuais para colocar a sujeira que fizeram.

Se contabilizarmos a imobilidade de realização politica do PSDB e parceiros políticos perceberemos um número de trocas como Coordenadoria da Juventude, Secretaria da Assistência Social, Direitos Humanos, Subprefeituras, Secretaria de Cultura, Secretária de Justiça, Secretaria de Esporte, isso acaba sucateando a finalidade desses órgãos públicos, que é servir o cidadão paulistano. Então temos a não efetivação de políticas para o convívio da cidade exemplos: Diminuiriam os direitos da locomoção em transporte público, geram dificuldade na participação cidadã na gestão, fazem atrapalhadas na merenda escolar, fecham Centro de idosos, tiraram os direitos previdenciários do funcionarismo público, locam viadutos e outros espaços públicos para exploração de capital, entre outras coisas.

Parece piada pronta ter um prefeito chamado Covas.

sexta-feira, 21 de junho de 2019

CULTURA O SISTEMA DE CONHECIMENTO


CULTURA O SISTEMA DE CONHECIMENTO
Rapper Pirata
O secretario de Cultura do município de São Paulo fez um marketing na sua entrada no governo como salvador da politica de cultura, mas até agora fica a sensação de balcão e circo. Pior da ineficiência de gastos e gestão, até junho de 2019 alocou mais ou menos R$ 100 milhões de uma pasta de R$ 402 milhões, valor da rubrica na LDO 2019. Com atitudes dessas pessoas na pasta de cultura, que não tem vinculo com a politica culturais, a área da cultura torna-se produtora de danos do patrimônio imaterial público com a logica do mundo do entretenimento (lucro), desqualificando os artigos 215 e 216 da constituição. A cultura é um direito robusto por construir arte, conhecimento, trabalho e economia, ele fortalece diversas outras industrias, em razão de sua transversalidade na difusão de conhecimentos produzidos por povos, que criam novas comunicações por multilinguagens técnicas.


quarta-feira, 6 de março de 2019

o Fórum Hip Hop MSP é um espaço de encontro de artistas ou interessados no desenvolvimento do hip hop na cidade de São Paulo, qualquer pessoa pode participar, e juntos colaboram para a efetivação da politicas públicas voltadas ao movimento, além de construir ações para valorização do hip hop paulistano.
Você pode colar lá!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

MOVIMENTO HIP HOP MSP CONSOLIDA O MÊS HIP HOP 2019 NO FORMATO DEMOCRÁTIC...

MOVIMENTO HIP HOP MSP CONSOLIDA O MÊS HIP HOP 2019 NO FORMATO DEMOCRÁTICO DA LEI DO MUNICÍPIO.


Rapper Pirata

Dia 12 de fevereiro de 2019 - Na sala Olido, avenida São Joao , 473 as 19h o Movimento Hip Hop MSP consolida o Mês Hip Hop 2019 no formato democrático garantido em lei, SEMANA DO HIP HOP, LEI MUNICIPAL 14485/2007 .
O cadastro proposto pela secretaria de cultura SP que excluía a participação de artistas não foi aceito, e no dialogo com representantes da secretaria: Núcleo Hip Hop , assessor Xis e assessoria da Casas de Cultura, Priscila houve o acordo de encontros regionais das macrorregiões da cidade sul, leste,norte, oeste e centro. O movimento colaborá na organização dos artistas e na organização dos cadastros para participação dos elementos do hip hop (break, mc, grafitti e dj) e também o projeto protocolado :HIP HOP CONHECIMENTO PÚBLICO TRANSVERSAL:EDUCAÇÃO, TÉCNICA, POLÍTICA E CULTURA.

será o tema.

http://www.forumhiphopmsp.com.br/