Translate

domingo, 13 de março de 2022

O que estão fazendo com o Mês do Hip Hop?



Tito 1 Fantama                                                                                                                                                              Se olharmos o Diário Oficial perceberemos que está ocorrendo uma disparidade absurda de um grupo pra outro ... 

Tem gente com cachê de 65.000,00 enquanto que a maioria absoluta dos grupos e artistas inscritos estão com uma ajuda de custo de 1.200,00 isso quando não tem que dividir a merreca quando estamos falando de grupos com mais de duas pessoas ... Nem quero cair no mérito se tal artista merece ou não ... Mas chega a ser hipócrita quando a mensagem falada não condiz com a prática cotidiana ainda mais envolvendo grana.

Antigamente não tínhamos essa possibilidade, a luta era pelo reconhecimento, a luta era pra garantir um espaço onde pudéssemos expressar as nossas mensagens como fez GrandMasterflash no The Message , mas parece que o Grupo Dead Prez acertou quando elucidou que os princípios do hip hop estão distorcidos.

Não foi pra isso que foi pensado o Mês do Hip Hop na cidade de São Paulo! 

O plano sempre foi fortalecer as quebradas , as periferias onde sempre foi carente de ofertas de cultura, o plano sempre foi fortalecer a cultura local sobretudo estimulando e incentivando os mais novos a darem continuidade e não é o que está ocorrendo.

Há muitos anos o Fórum Municipal de Hip Hop da cidade de São Paulo lutou para que fosse possível que o poder público garantisse a estrutura e a remuneração de membros do Hip Hop e seus 4 elementos com a execução e metodologia da nossa perspectiva, sempre foi pensando no Movimento Hip Hop, o projeto de Lei Mês do Hip Hop nunca foi exclusividade para os membros do FMHHSP e sim que todo processo e execução fosse transparente e público, as lutas na Câmara Municipal de São Paulo, as Reuniões Gerais com o movimento sempre foram no intuito de legitimar o processo junto com o movimento. 

Pensando como o sistema age contra nós como sempre, consegue entrar na mente daqueles que deveriam ser um dos nossos dentro da esfera pública enquanto acessoria de assunto relacionado ao Hip Hop, mas o poder corrompe e tivemos inúmeras pessoas que mais favoreceram os seus amigos ou do mesmo ciclo ... Em suma o favorecimento sempre com aquela panela que um dia fura.

De repente pessoas podem se questionar mas as inscrições são livres e participa quem quiser, ok  enquanto membro atuante do movimento Hip Hop trago questionamentos  das contratações que estão acontecendo e que já aconteceram, considerando a verba pública e a ausência de transparência que justifique que um artista renomado que possui agendas de shows o ano todo , simplesmente seja favorecido de forma absurda e por baixo dos panos ( quase ninguém lê o Diário Oficial ) enquanto que poderíamos estar fomentando e incentivando uma galera a participar, auxiliar na elaboração de portfólio, currículo, release... Mas a esse respeito cabe refletir que os oficineiros (as) de hip hop irão rasgar seus agasalhos girando, outros irão quebrar suas agulhas tocando, as latinhas e látex vão descolorindo o cinza, as linhas e os flows vão denunciando a desigualdade que nos assola, mas quem enche os bolsos literalmente não são aqueles e aquelas que garantem a efetivação prática do mês do hip hop... São as empresas, algumas empresas que lucram muito todo santo ano.

Diretamente da base do movimento só observando a briga feia rumo ao topo enquanto nós prosseguimos na perspectiva real, rebelde e acima de tudo revolucionária.                                                                                                                

Nenhum comentário: