Translate

domingo, 5 de janeiro de 2014

PROPOSTA DO FORUM DE HIP HOP MUNICIPAL SP PARA SEMANA DE HIP HOP 2014



Ao Secretário de Cultura da cidade de São Paulo.
Sr. Juca Ferreira


Proposta do FÓRUM DE HIP HOP MUNICIPAL SP para Semana de HIP HOP 2014.


10 ANOS DE RESISTÊNCIA NEGRA E PERIFÉRICA DAS RUAS PARA A CULTURA EM MOVIMENTO

Nossa proposta marca e busca a efetivação definitiva da LEI SEMANA DO HIP HOP LEI MUNICIPAL 14485/2007, uma politica pública que transcende o universo das artes e pauta se na garantia de direitos constitucionais: cultura, saúde, educação entre outros direitos da pessoa humana, porque esta inserida na luta contra o racismo, também ela revela os e as atores culturais periféricos.
Temos como o indicativo a parceria entre poder público e sociedade, desde que o movimento hip hop seja ator.
O escopo do projeto 10 ANOS DE RESISTÊNCIA NEGRA E PERIFÉRICA: DAS RUAS PARA A CULTURA EM MOVIMENTO é realização de diálogos durante toda a semana de 16 à 22 de março, referente a questões de “Gênero” com apresentação da artista transexual angolana Titica, “Promoção de cidadania” com rapper português Valete ou Arianna Puello da Espanha, “Violência Urbana” mcs ou estadunidenses Public Enemy, Dead Press e Immortal Technique, “Aborto” com porto riquenhos Calle 13 ou cubanos Las Krudas, “Cultura hip hop e religião” para busca de difusão do hip hop e o entendimento politico da garantia de direitos na cidade de São Paulo.
Haverá um mix de apresentações dos artistas internacionais com diversos artistas do movimento hip hop da cidade de São Paulo não no centro, mas sim em sete pontos da região periférica paulistana.


 RAZÕES PARA TEMÁTICA DA SEMANA DE HIP HOP 2014

Os últimos 10 anos foram anos de avanços, recuos e descontinuidades para o movimento Hip Hop. A ascensão de governos progressistas na América Latina, o desmonte da agenda social promovida na Europa frente as crises cíclicas do capital e seus efeitos nos países em desenvolvimento (BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) são uma pequena amostra da realidade concreta colocada aos excluídos da periferia. A melhoria, quase geral, no país quanto aos indicadores sociais não foram suficientes para amenizar a exclusão histórica produzida pelo processo de abolição brasileiro. O acesso das novas tecnologias, partindo do advento da Internet, ampliou a capacidade de comunicação e reintegração do discurso da exclusão. Nesses 10 anos o Hip Hop, considerando as diferentes etapas e caminhos de seus elementos, segue instrumentalizando um discurso sócio histórico dos efeitos da diáspora negra.
A realidade “nua e crua” é descrita através da crônica das periferias deste grande centro urbano que é São Paulo. Rompendo com a idealização que a cultura de massas visa imprimir, os samplers, as rimas, os murros e o corpo seguem disputando os valores, não só com a indústria cultural como também com toda a sociedade. O Hip Hop, na cidade de São Paulo, assim como no país, é uma conquista do ponto de vista de resistência ao conservadorismo que permeia toda uma sociedade que foi forjada pela ideologia de poucos e que resiste à constituição da base da República democrática de direitos.  

O Fórum de Hip Hop MSP visa explorar essa faceta significativa da produção cultural da cidade de São Paulo buscando transmitir à sociedade as perspectivas, vivências e potências do movimento no mundo. A realidade vivida pelo movimento, buscando agenciar coletivos, conquistar espaços e ampliar as possibilidades de potência de vida de seus participantes é a aposta na luta pela garantia de direitos, é a cidadania cultural forjando a cidadania plena. Considerando que o Estado é o responsável por viabilizar a infraestrutura para que as pessoas tenham a possibilidade de desenvolver seu potencial humano, segue-se a disputa com a agenda neoliberal inserida na micropolítica do estado de São Paulo, agenda essa que inviabiliza o acesso pleno à cultura.

O que tem a nos dizer os Estados Unidos, onde o Movimento Negro obteve grandes avanços quanto aos direitos civis e o Hip Hop obteve uma permeabilidade positiva na indústria cultural, mas onde uma minoria negra na sociedade é uma vastidão nos presídios, e centenas de milhares de latinos são deportados ano a ano? E a Espanha, onde a agenda neoliberal vem desmontando dia a dia as conquistas de um modesto Estado de Bem Estar Social, e o povo começa a assistir o fim de uma disputa territorial de quase meio século?
 
HISTÓRIA DE LUTA PARA EFETIVAÇÃO DA LEI SEMANA DE HIP HOP NA CIDADE DE SÃO PAULO.

O Fórum Hip Hop Municipal, da cidade de São Paulo é um espaço aberto de diálogo entre pessoas, posses, grupos e integrantes do movimento Hip Hop da cidade de São Paulo.
Desde agosto de 2005, o fórum, representado por mais de trinta coletivos de Hip Hop de diversas regiões da cidade, tem se reunido para discutir políticas públicas de juventude  a partir das demandas do Movimento Hip Hop baseadas em 8 eixos temáticos definidos nos primeiros encontros:
1.Difundir o Hip Hop
2.Elaborar políticas públicas de juventude
3.Inserir o Hip Hop como tema transversal da educação
4.Combater a discriminação de gênero
5.Organizar uma agenda do Hip Hop na cidade
6.       Combater a discriminação racial
7.       Atuar contra a violência policial
8.       Geração de  emprego e renda.

A Semana do Hip Hop é uma conquista da juventude negra da cidade de São Paulo, desde meados da década de 1990, vem reivindicando junto ao legislativo municipal a inclusão das manifestações do Hip Hop no calendário de eventos da cidade. Em 2004 a lei municipal 13.924 instituiu a Semana do Hip Hop. Embora aprovada e sancionada pelo Poder Executivo Municipal não entrou efetivamente em vigor, pois, os governos conservadores Serra-Kassab se recusaram a cumprir a normativa. Após intensas mobilizações do  Fórum Hip Hop Municipal, a Semana do Hip Hop foi incluída na Consolidação de datas comemorativas, eventos e feriados da cidade de São Paulo - LEI MUNICIPAL 14485/2007. Ainda assim a lei não foi cumprida pelos prefeitos de plantão, em 2008 o Fórum participou de audiência pública sobre orçamento na Câmara de Vereadores e pediu inclusão de rubrica orçamentária para a execução da referida lei, mas o prefeito Kassab congelou os recursos financeiros, como último recurso do Estado Democrático de Direito, o Fórum Hip Hop em julho de 2010 ingressou com uma representação na Promotoria de  Justiça do Patrimônio Público e Social do Estado de São Paulo, finalmente em outubro do mesmo ano a prefeitura dignou-se em prever recursos da ordem de 100 mil Reais para a execução da Semana do Hip Hop, conforme acordo junto ao Ministério Público.

SEMANA DO HIP HOP LEI MUNICIPAL 14485/2007:

LIX - segunda quinzena de março:
A Semana do Hip Hop, incluindo obrigatoriamente o dia 21 de março, quando se comemora o Dia Internacional de Luta Contra a Discriminação Racial, devendo as comemorações referidas neste inciso contar com representantes do movimento Hip Hop, em suas quatro manifestações: o Break, o Graffit, o DJ e o B. boys; ativistas de organizações não-governamentais que desenvolvam trabalhos sociais voltados para o combate ao racismo; e alunos da rede municipal de ensino, podendo ser estendidas aos demais munícipes, compreendendo, entre outras, atividades culturais que divulguem o Hip Hop e que desenvolvam a compreensão sobre o papel da juventude afro-brasileira e da periferia, rompendo preconceitos e idéias estereotipadas, e os Poderes Executivo e Legislativo deverão envidar esforços no sentido de colaborar com os representantes do Movimento Hip Hop e organizações não-governamentais que tratam da luta anti-racismo, na organização e realização das atividades que compõem o evento.

PROPOSTA INICIAL DE ORÇAMENTO

local
ESTRUTURA
VALOR
ZONA SUL
APRESENTAÇÃO, OFICINAS, VIDEOS, MOSTRAS, DIALOGOS, APRESENTAÇÕES DOS QUATRO ELEMENTOS
R$ 43.950,00
ZONA NORTE
APRESENTAÇÃO, OFICINAS, VIDEOS, MOSTRAS, DIALOGOS, APRESENTAÇÕES DOS QUATRO ELEMENTOS
R$ 43.950,00
ZONA LESTE
APRESENTAÇÃO, OFICINAS, VIDEOS, MOSTRAS, DIALOGOS, APRESENTAÇÕES DOS QUATRO ELEMENTOS
R$ 43.950,00
CENTRO
APRESENTAÇÃO, OFICINAS, VIDEOS, MOSTRAS, DIALOGOS, APRESENTAÇÕES DOS QUATRO ELEMENTOS
R$ 43.950,00

ZONA OESTE
APRESENTAÇÃO, OFICINAS, VIDEOS, MOSTRAS, DIALOGOS, APRESENTAÇÕES DOS QUATRO ELEMENTOS
R$ 43.950,00
ZONA NORTE
APRESENTAÇÃO, OFICINAS, VIDEOS, MOSTRAS, DIALOGOS, APRESENTAÇÕES DOS QUATRO ELEMENTOS
R$ 43.950,00
FINAL CENTRO
APRESENTAÇÃO, OFICINAS, VIDEOS, MOSTRAS, DIALOGOS, APRESENTAÇÕES DOS QUATRO ELEMENTOS
R$ 43.950,00



TOTAL

R$ 307.650,00

ORÇAMENTO POR ATIVIDADE 

RECURSO HUMANOS

AÇÃO
UNIDADE
VALOR
TOTAL
DEBATEDORES
04
R$ 400,00
R$ 1.200,00
ALIMENTAÇÃO
01
R$ 250,00
R$ 250,00
PROJETOR
02
R$ 200,00
R$ 400,00
NOTEBOOK
02
R$ 200,00
R$ 400,00
DOCUMENTÁRIO
01
R$ 500,00
R$ 500,00
PRODUTOR CULTURAL
10
R$ 300,00
R$ 3.000,00
FOTOGRÁFO
01
R$ 500,00
R$ 500,00
VIDEO MARKER
01
R$ 500,00
R$ 500,00
PROJETO COMUNICAÇÃO
01
R$ 2.000,00
R$ 2.000,00
KIT SOM ALUGUEL
MIC, CABOS, MESA, POTENCIA E CAIXAS
01
R$ 1.200,00
R$ 1.200,00
APRESENTAÇÕES



RAP
03
R$ 2.000,00
R$ 6.000,00
MC BATALHA
04
R$ 250,00
R$ 1.000,00
BREAAK BATALHA
02
R$ 2.000,00
R$ 4.000,00
BEATS BATALHA
04
R$ 250,00
R$ 1.000,00
INTERNACIONAL
01
R$ 20.000,00
R$ 20.000,00
OFICINAS



DJ
01
R$ 500,00
R$ 500,00
MC
01
R$ 500,00
R$ 500,00
BREAK
01
R$ 500,00
R$ 500,00
GRAFFITTI
01
R$ 500,00
R$ 500,00
TOTAL


R$ 43.950,00

TOTAL: 07 EVENTOS X R$ 43.950,00 = R$ 307.650,00


PLANO DE COMUNICAÇÃO

CRIAR LOGO DO EVENTO.
10 mil flyers
5 mil folders
500 A3


Mais informações:
Blog Fórum Hip Hop MSP

Contato:
Rapper Pirata
Fone- 55




*NEGRO - Considerando que o Hip Hop difere do movimento negro tradicional e que "O termo 'preto', difundido pelos adeptos do Hip Hop, é a adoção traduzida de 'black', palavra utilizada por décadas pelo movimento negro estadunidense. Já a rejeição que eles fazem do 'negro' deve-se ao fato de que nos Estados Unidos esta palavra origina-se de 'nigger', termo que lá tem um sentido pejorativo", e que esse 'preto' é uma categoria que responde por todo ser marginalizado, o que extrapola a fase vanguardista do movimento negro.

ZONA SUL
CEU VILA DAS BELEZAS
CEU VILA RUBI
CEU TRES CORAÇÔES
CEU PARELHOS

ZONA LESTE
CEU INACIO MONTEIRO
CEU JAMBEIRO

ZONA NORTE
CJJ
CEU JAÇANÂ

ZONA OESTE
CEU PQ ANHAGUERA
CEU PERUS

CENTRO
PRAÇA DAS ARTES

FINAL
ANHANHANGABAÚ
REPÚBLICA


Nenhum comentário: