Translate

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

O QUE QUEREMOS E ESPERAMOS DA SEMANA DO HIP HOP 2013


Nando Comunista (Rapper, Educador e Sociólogo) /Integrante do Fórum HIp Hop Municipal – SP / Força Ativa

Passados quase trinta anos de existência do Movimento Hip Hop Paulistano a situação dos jovens indígenas, pretos, periféricos e favelados continua em desvantagem em relação à juventude burguesa e de classe média. Cerca de 8 mil jovens são eliminados anualmente na sociedade brasileira, em meio aos gritos de penas rígidas e redução da
idade penal, dos setores conservadores e midiáticos. A polícia militar continua a exterminar os jovens em todo o Estado Paulista, principalmente no município de São Paulo. E qual foi atitude do governo federal, fornecer aparato policial. Em nenhum momento o ministro José Eduardo Cardoso falou em garantia dos direitos humanos,
políticas de redução da miséria ou mesmo combate ao narcotráfico.
Assistimos diariamente a eliminação dos nossos irmãos e amigos, os quais são executados pelas polícias militares e civis, conjuntamente com os mecanismos de controle, drogas legais e ilegais, igrejas, festas, bailes entre outros.
Estamos diariamente lutando contra o Genocídio, extermínio e eliminação física da juventude que desprezada pelo Estado Penal tenta se inserir em empregos, acessar as fontes de cultura, lazer, entretenimento, profissionalização, serviços de saúde, assistência
social e outras formas de realização da plenitude humana.

O Fórum Hip Hop Municipal -SP luta pela invisibilidade dos jovens, em
especial os cercas de 1000 assassinados em São Paulo, somente em 2012,
esses jovens tem cor, um estereótipo de meliante segundo a polícia fundada na teoria de Nina Rodrigues e um endereço: as ruas, as favelas e a periferia em geral.
Afirmamos a materialidade da vida enquanto patrimônio da humanidade e não apenas de uma minoria privilegiada ou escolhida. E queremos que o Estado Brasileiro nos seus três níveis de governo (Municipal, Estadual e Federal) ratifique o artigo 227 da Constituição Brasileira de 1988, modificado pela emenda constitucional 65, a qual estabelece que a juventude é PRIORIDADE:

Art. 227 É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à
criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito
à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à
profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e
à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de
toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência,
crueldade e opressão.
  § 1º O Estado promoverá programas de assistência integral à saúde da
criança, do adolescente e do jovem, admitida a participação de
entidades não governamentais, mediante políticas específicas...

Logo almejamos que da Semana de Hip Hop 2013 os governos dignem-se em:

1. Desmilitarizar a Polícia Militar e extinguir da Rota Comando;

2. Responsabilização do Governador do Estado de São Paulo Geraldo
Alckmin por crimes contra os Direitos Humanos e de Genocídio da
Juventude;

3. Formular, Implementar e executar em nível municipal do Plano
Nacional do Enfrentamento da Violência contra a Juventude Negra da
Secretaria de Geral da Presidência (Governo federal);

4. Implementar o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania
PRONASCI, na Cidade de São Paulo;

5. Criar uma Agenda de Enfrentamento da Violência Contra a Juventude Negra;
6. Realizar uma Campanha Municipal contra o Genocídio da Juventude
Negra, Indígena e periférica;

7. Promover a entrega do Prêmio Sabotage às posses, organizações
comunitárias e agrupamentos de Hip Hop que fazem trabalho
antirracismo..

2 comentários:

3 Pilares disse...

Boa... tem que ter 3 Pilares nesse evento!!

http://www.youtube.com/watch?v=TZaU68O2RRY

TITO1FANTASMA disse...

de fato todo ano temos uma dificuldade enorme em realizar a semana de hip hop na cidade de são paulo, acredito que o crucial é que sabemos o que queremos e não estamos viajando na maionese, somos da base do movimento e também ativistas políticos sem sombra de dúvidas contra o genocídio da juventude preta e contra a redução da idade penal.