Translate

terça-feira, 15 de setembro de 2015

FERNANDA- EDUCAÇÃO POÉTICA



EDUCAÇÃO POÉTICA.

André Luiz



“O nome da poesia é chega de ataques de canhão.”

Fernanda Mithie poetiza do Bristol.

A educadora e poetiza periférica Fernanda Mithie, moradora do bairro Bristol, zona sul da cidade de São Paulo é professora de história e hoje trabalha na Fundação Casa como educadora social, ela realiza saraus e eventos culturais em seu bairro.



O seu amor pela poesia acabou tornando o diferencial de seu trabalho na área da educação. Rimas, contos e literatura periférica facilita no cotidiano das aulas o dialogo na busca da compreensão do mundo de seus educandos e sua própria história.



Fernanda encontrou no rap, ritmo e poesia, a fórmula lúdica para representar nas salas de aulas a vida e as lutas, no intuito de conquistarem e valorizarem sua auto estima como cidadãos em formação paulistanos moradores da periferia.



“Não dá para chegar lá com a molecada da periferia e ler Camões, não tirando a importância e seu valor na história, mas sempre pensei em algo que representa essa galera...” diz a poetiza.



Nessa essa entrevista Fernanda, hoje educadora na Fundação Casa, tem o desafio de auxiliar os adolescentes em conflito com a lei.



“Expulsos da escolas por não se adequarem no sistema tradicional de educação” diz Fernanda.

Nas suas oficinas auxilia os a refletirem o porque de estarem em conflitos com a lei e como podem mudar suas histórias.



“Que eles percebam a importância deles na sociedade e importância deles para eles. Que eles percebam que a vida deles não é aquele lugar, eles não são marginais, infratores. Pessoas sem nenhum valor como a sociedade e a própria Fundação tenta tratar eles...” diz a poetiza.




Nenhum comentário: