Translate

segunda-feira, 23 de março de 2015

Fórum de Hip Hop reivindica cumprimento de leis em audiência pública

2014-10-10-AP-Educao-Hip-Hop-15
Fórum reuniu grupos e coletivos ligados ao movimento Hip Hop na Capital                      Foto: Ricardo Rocha / CMSP 
DA REDAÇÃO
A Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal, sob a presidência do vereador Reis (PT) e com participação dos vereadores Jean Madeira (PRB) e Toninho Vespoli (PSOL), realizou na noite desta sexta-feira (10/10) uma audiência pública para discutir a efetivação e manutenção das leis municipais que tratam do Hip Hop.
O Fórum Hip Hop (espaço de debates entre militantes do movimento) reivindicou ao legislativo que se cumpra as leis de fomento existentes. De acordo com André Luiz (mais conhecido como rapper Pirata), um dos organizadores do Fórum, a ‘Semana Hip Hop’ — que se tornou lei há dez anos — só acontece graças às cobranças do movimento.
“A cidade de São Paulo têm leis e projetos de leis voltados para o Hip Hop e nós do Fórum percebemos isso, mas a questão é o cumprimento delas. A própria Semana do Hip Hop só acontece porque nós estamos há dez anos brigando. Já o Prêmio Sabotage, por exemplo, que também é lei, não acontece”, revelou André Luiz, mais conhecido como rapper Pirata.
Para Gil Marçal, diretor de cidadania cultural da Secretaria municipal de Cultura, já foram feitas cobranças junto à Câmara para execução do Prêmio Sabotage, criado através do Projeto de Resolução nº2/2005. “A secretaria já manifestou publicamente seu apoio ao prêmio e está disponível para colaborar com sua realização”, afirmou.
“Nós notificamos a presidência da Casa e também encaminhamos a questão para a Comissão da Criança e do Adolescente. O prêmio foi aprovado em 2008 e até hoje não foi executado. Nós precisamos saber o motivo”, explicou Reis. O parlamentar também falou sobre projetos de leis que estão parados na Casa.
“Alguns projetos reclamados pelo Fórum são de autoria de vereadores que já não se encontram na Câmara e, portanto, estão arquivados. Temos que encaminhar para ver se algum parlamentar se interessa pelos textos e desta forma os projetos voltem a tramitar”, finalizou o vereador.
(10/10/2014 – 21h02)

Nenhum comentário: