Translate

sábado, 2 de fevereiro de 2013


ATA DA REUNIÃO DO COMITÊ CONTRA O GENOCÍDIO DA JUVENTUDE
NEGRA, POBRE E PERIFÉRICA 29/01/2013

Informes
Rapper Pirata (Fórum de Hip Hop) – Reunião do Fórum de Hip Hop todas as quintas-
feiras às 19hs na Coordenadoria de Juventude às 19hs - R. Libero Badaró, 119 – 7º
andar-Telefone: 3113-9731 http://forumhiphopeopoderpublico.blogspot.com.br/

Miguel (Jornal A Nova Democracia) – Nova redação do jornal em São Paulo
aberta ao Comitê, Rua Silveira Martins 133, Conj. 33 – Tel. 3104-8537 http://
www.anovademocracia.com.br/
Quartas às 18hs – Reunião da construção do 8 de março. xavier de toledo, 210, 11º andar
no CIM
Comitê Unificado do ABC (Contra o Aumento da Passagem) https://
www.facebook.com/events/576734775675310/
https://www.facebook.com/groups/281834898553631/

Chico (Grupo Tortura Nunca Mais) – Ato em defesa de D. Pedro Casaldáliga e do Povo
Xavante na Câmara Municipal – Viaduto Jacareí, 100 (Metrô Ananhagabaú) 7/02, das
19 às 22hs.

Beatriz (Levante Popular da Juventude) – Reunião do GT Institucional na Rua da
Abolição 167 (Sindicato dos Advogados/Uneafro) – Metrô Anhangabaú – 31/01 – às
18:30hs

Douglas(UNEAFRO) – Reunião da Frente Pró-Cotas contra a proposta de cotas de
Geraldo Alckmin, 5/02 às 19hs – Câmara Municipal (Sub Solo – Sala A) - Viaduto
Jacareí, 100 (Metrô Ananhagabaú)

Paulo Spina – Ato para a próxima semana em defesa do CAPS Caism Água Funda
(Jabaquara) que corre o risco de se tornar um equipamento de internação compulsória.

Juliana (Advogada da Pastoral Carcerária) - Falou sobre a ausência de políticas
afirmativas no Quilombo Caçandoca. http://www.cpisp.org.br/comunidades/html/brasil/
sp/litoral_norte/cacandoca/cacandoca_assistencia.html

Juninho (CÍRCULO PALMARINO) – Relatou a reunião com o secretário adjunto
(secretária de segurança pública) Eduardo Dias, e a resposta do Secretário Fernando
Grella Vieira no dia 15/02, pedindo uma reunião para 7 ou 8/2 para tirar uma comissão
para uma reunião maior (80 pessoas) para possivelmente o dia 15/02.

Pirata – Lembrou que proposta principal era uma reunião diretamente com o secretário e
com o governador.

Costa (UNEGRO) – Lembrou que ainda falta uma resposta concreta do secretário tendo
em vista as demandas apresentadas. Devemos ter uma posição mais firme para sanar as
demandas.

Chico - Cobrou a posição firme, aproveitar a abertura dada pelo secretário adjunto.
Falou da visita ao Campo Limpo, o contato com os familiares do DJ Lah http://

www.pragmatismopolitico.com.br/2013/01/alckmin-assassinato-de-dj-lah-quem-
reagiu-esta-morto.html
do balanço positivo da audiência no Capão Redondo http://
www.vermelho.org.br/tvvermelho/noticia.php?id_noticia=204754&id_secao=29
da necessidade de articular a proximidade do Comitê com a periferia, do fortalecimento
dos GTs e a falta de comprometimento de algumas entidades que compõem o Comitê.

Gabriel (AÇÃO EDUCATIVA) Pediu abertura de uma pauta para organização.

Cleiton (CONLUTAS) Falou da necessidade de se empenhar no diálogo com o
secretário, porém devemos cobrar não uma reunião com 80 pessoas, mas sim uma
audiência pública aberta com os mais amplos setores da sociedade.

Beatriz – Propôs cobrar os ajustes para o encontro com o secretário no dia 7/2, tendo
em vista que esse espaço não é o que pode realmente responder nossas demandas. Com
relação à ausência de algumas entidades, lembrou que o Comitê é composto como uma
frente e não como entidade, logo esses atravessamentos são comuns, ainda assim é um
modelo de construção ativa.

Milton Barbosa (MNU) – Devemos ir em frente apesar dos problemas, a conjuntura
na secretaria mudou e é a ser aproveitado. Acredita que devemos sim articular sim no
dia 7/2 e avançar o máximo possível. Propôs pensar um ato em frente a secretaria na
reunião do dia 15/2, avançar para cobrar a audiência sem nos sentir acuados.

Juliana – Relatou que na reunião com o secretário adjunto Eduardo Dias, teve contato
com a Secretária da Justiça Eloisa Arruda, denunciou que a mesma se articula com
entidades de direitos humanos para realizar a manipulação dos dados referentes à
homicídios. Acredita que temos argumentos suficientes para cobrar o impeachment
do Alckmin com base na falta de transparência pública http://www.planalto.gov.br/
ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm

Douglas - Citou também a lei que regulamenta intervenção federal em caso de
ferimento dos direitos humanos http://www.conjur.com.br/2011-dez-26/dilma-sanciona-
lei-regulamenta-acao-intervencao-federal-estados

Pirata - Devemos agir diretamente na questão do impeachment do sem medo.

Juninho – Acredita que todas as pequenas conquistas são conquistas. A articulação com
o secretário já é uma vitória, fortalece nossas ações futuras, por mais que não recebam
todos estaremos lá para provocar um tensionamento, algo muito importante. O dia 7/02
é essencial, devemos ouvir a proposta, trazer para o coletivo e refletir o dia 15/02.

Gabriel – Se disse contemplado com as falas do Milton Barbosa e do Juninho, porém
além do citado acredita que é importante se preocupar com o calendário de feriados,
para manobrar essa situação seria importante registrar ou em áudio ou em vídeo essa
reunião do dia 7/02.

Carol – Disse ser esse o momento de analisar os documentos já construídos visando
nossa organização, refletir um calendário positivo e a presença do ministro no encontro
com o secretário. Lembrou a importância do fortalecimento do GT institucional e a
necessidade da assistência aos familiares das vítimas.

Costa – Lembrou que os crimes contra civis não estão sendo investigados, ao contrário
do que acontece quando as mortes são de policiais. Disse ser importante valorizar a
pauta sobre a questão da cobrança ao governador sobre os grupos de extermínio, cobrar
uma resposta do secretário, o Comitê deve estar convicto disso.

Cícero (SOS RACISMO) – Cobrou a reflexão sobre a organização do Comitê, pois
estamos sentindo o peso dessa ausência, e que devemos forçar sim uma audiência
pública, chegar dia 7/02 com uma solicitação desta, visando discutir a política de
segurança pública.

Cleiton – Fez um relato da audiência pública no Capão Redondo, analisa que a resposta
do poder público municipal foi ineficiente, evidenciando seu despreparo para a questão.
A organização dos moradores vem buscando inserção no espaço institucional. (citou
o Plano Nacional dos Direitos Humanos 3) http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/
_Ato2007-2010/2009/Decreto/D7037.htm

Maria José (Núcleo de Consciência Negra) – Ganhamos apoios importantes. Reforçou a
questão das cotas e do trabalho do Núcleo de Consciência Negra USP na questão e sua
disponibilidade para o comitê, lembrou a importância de enxergar o Comitê como uma
frente levando em conta os setores existentes.
Milton – Propôs articular a audiência pública para 21/03 dia Internacional da Luta
Contra a Discriminação Racial.

JP - Propôs a realização em ato em frente a secretaria no dia 7/02, já irmos mobilizados.

Juninho – 7/02 não tem carater de audiência, dispensa documentação, o foco é o contato
com o secretário através de seu adjunto.

Junior (Levante Popular da Juventude) – Defende propor a audiência 21/03, é favorável
pelo intervalo de tempo e pelo simbolismo da data.

Nenhum comentário: