Translate

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

10D UM ATO SEM CONDICIONAMENTO POLITICO.


Rapper Pirata

   Os movimentos sociais de direitos humanos que integram o Comitê Contra o Genocídio da Juventude Negra, Pobre e Periférica  manisfestaram seu repúdio ao governo do estado de São Paulo, referente a sua politica de segurança pública que tem como inimigos a juventude negra, pobres moradores da periferia de condição de rua; por essa razão cresce o pedido da população pelo imptimam para Geraldo Alckmim. 
   O percusso do ato iniciou-se no vão do Masp, cidade de São Paulo, e seguiu pelas avenidas Paulista e Brigadeiro Luis Antonio até a assembléia legislativa (ALESP);  Com cartazes de direitos negados pelo o estado, faixas contra o genocídio, fotos de vitimas da policia militar , pichação de corpos no asfalto, rap, beat box,  fanfarra gritavam em coro: Fora Alckmim! Fora Alckmim! Fora Alckmim!
   Na ALESP houve a premiação Santo Dias, uma entrega de placas dada pela comissão de direitos humanos, presidida pelo deputado Adriano Diogo, homenageados foram: Soninha do MNU, Mano Brown, Educafro, advogado Ariel entre outros.
   Os movimentos sociais de forma contundente reverberou as revindicações do ato; o comitê contra o genocídio da juventude negra, pobre e periférica cobrou do legislativo uma ação mais energética contra o poder executivo, no intuito de dar uma basta na violência institucional contra os pobres, com foco o fim das mortes de pessoas inocentes ou apenadas que são vítimas de ações da segurança pública na periferia do estado, representada pela policia militar; CPI das policias; Iptimam do Governador do estado de São Paulo.

Nenhum comentário: