Translate

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Ata da reuniao do dia 26/11 Comite


Reunião estadual do comitê contra o genocídio da juventude negra.

Coordenador: MC Pirata
Relatora: Fabiana

Rodada de apresentação: vide lista

Informes:
Secretária de justiça: houve encaminhamentos para solicitar audiência pública, porem até onde sabemos não foi encaminhado um pedido oficial e estamos hoje querendo ter informação de como se dará, pois não teremos a audiência no dia 27/11 e mesmo sendo apontada para o dia 06/12 porem foi informado que ainda está em construção, não é certo.

Foi apresentado a proposta de audiência pública, mas houve uma manobra da direita e não houve quorum para tal.

05/12/2012 Fórum na ação educativa com apresentações ao final de Hip Hop, tema do fórum o genocídio da juventude negra.

07/12/2012 Evento na câmara municipal na escola do parlamento no plenarinho às 19h, atividade realizada pelo Fórum nacional do Hip Hop.

10/12/2012 Premiação Santos Dias de Direitos Humanos, será contemplado: Mano Brown, Educafro, Jornalista Caramanjo e Leandro Sakamoto. Será no plenário JK ás 19h.

Apontamento:
Precisamos fazer um balanço da ocupação da Secretária da Justiça.

Não podemos nos calar frente a negativa de realizar a audiência pública com o Ministro da Justiça José Eduardo Cardoso e do então secretário de segurança do estado de SP, pois a cada dia eles inventaram uma desculpa para não nos receber, se foi marcado dia 06/12 mesmo não tendo devemos fazer um ato político...

Solicitar uma resposta ao Deputado Estadual Vicente Candido do qual veio neste espaço informou que conseguiria uma audiência e neste momento não faz nenhuma devolutiva.

Caso não seja possível a audiência pública, solicitar uma roda de conversa com o ministro Gilberto Carvalho (responsável pela secretária geral da presidência da república e setor de mobilização social) e o Ministro da Justiça José Eduardo Cardoso.

GT de Comunicação e Institucional construir uma nota com a fala do atual secretário.

Divulgar e difundir em diferentes mídias os atos de dezembro.

Palavra de ordem da reunião: BASTA de MORTE!

Problema ressaltado na reunião: a comunicação interna está falha, muito mesmo após 04 reuniões ainda permanece sem receber os informes, atas e as articulações para a participação nas reuniões quando datas são mudadas ou urgentes.

Encaminhamentos:

  • Publicar o documento construído no comitê pela Bia e Carol no diário oficial na ALESP; responsável Costa.

  • Fortalecer o Prêmio Santos Dias com mostragem de dados, imagens, filmes do genocídio que está posto nas periferias.

  • Esta em andamento a construção de um ato de massa adentrando a noite do dia 10/12, entregar neste ato uma carta aberta com linguagem popular a ser entregue para os participantes. Fica apontada a necessidade de construir dois grupos para a preparação do dia D. Comissão pró ato junto ao Cícero da SOS e do Costa, somado estão: Tiago, Bia, Luizão, Carol e Atevir. Comissão do ato de massa: Douglas, Fábio, Miltão e Paulo.

Próxima reunião: 04/12 (terça-feira) às 19h (mesmo local).

DISCURSO DE PALAVRAS MERCADORIAS.

DISCURSO DE PALAVRAS MERCADORIAS.
Rapper Pirata
(rapperpirata.blogspot.com)

Cidade de São Paulo, dia 27 de novembro de 20012.
Temos que agir contra os discursos publicitários oficiais, que acabam sendo arranjos ideológicos para não tornar visível para os paulistas a omissão dos gestores do estado, em respeito ao cumprimento dos direitos civis garantidos pela constituição, o regramento burgues que determinas as leis da sociedade brasileira.
Esses discursos somente são usados mas com outra intenção, no momento que ele transpassa do mundo abstrato das ideias para o mundo concreto do dia dia da vida; Assim mantêm-se disfarçado o Genocídio Contra a População Pobre, Preta e Periférica. Ele torna-se confortável para a parte da sociedade que aceita o padrão de controle, denominado classe média, Esta parte não deseja que respingue o sangue da miséria em suas camisa brancas compradas na loja da rua Oscar Freire. Muitos não se preocupam com a totalidade do povo, no qual eles pertencem para formar o país, eles se restringem somente aos espaços de sua individualidade familiar, não querendo saber das condições de vida de seus vizinhos.
Como a ideologia de uma elite branca centro europeia americanizada está impregnada na cultura da nação, em nosso cotidiano fica quase impossível a unidade de uma luta conjunta, porque existe mecanismos de divisão, como esse da ideologia de classe média.
E as pessoas de partidos de legenda, que estão na administração compreendem e sabem com usar essa individualidade em prol de seus interesses. Esses usam o dinheiro do estado para manter o controle da população, com valores nefastos como o medo, em sua comunicação.
A politica hoje está totalmente nas mãos de profissionais da comunicação social. Esses são intelectuais da comunicação que vendem ao seu compradores políticos, o produto da imagem sacra da honestidade ariana. Eles utilizam-se de técnicas avançadas para criarem discursos, que as pesquisas diariamente apontam em seus resultados, para iludir nós povo.
Já que possuímos esse saber, temos que ter cuidado com ideias de segurança pública fabricada por publicitários, que são palavras mercadorias para gestores públicos. Os tais mandantes públicos terão pronunciar e gestar programas de politicas públicas a partir dos resultados das pesquisas encomendadas e financiadas pelo setor econômico nacional e transnacional; Hoje a comunicação é sagrada para qualquer gestor público, tanto que ele investe milhões dos cofres públicos no projeto de alienação de cidadãos, para os interesses dos grupos que ele representa.
Não dará para se aceitar ideias de Policia Comunitária; Policia Cientifica; Policia Cidadã; Ação conjunta de policias; Policia ecológica; Policia de controle urbano; Policia de controle social entre outras que são somente marketing politico. Elas não representam os interesse da sociedade formada pela maioria. O proposito desse tipo de ideia de segurança pública sempre será para manter o Genocídio da Juventude Preta, Pobre e Periferia; Também não deixar ninguém pixar os patrimônios públicos, que famílias como Roberto Marinhos são donos.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

HOMICÍDA OFICIAL.
Rapper Pirata

   O pobre é identificado como homicida, mas e os agentes da segurança pública; Esses que multiplicam as taxas de mortes nos bairros pobres e no centro, também não são homicidas? Quando agem como fossem uma unidade: o judiciário, legislativo e executivo nas madrugadas disseminando o terror do estado polícia; Eles apreendem o dinheiro e a droga, depois julgam e cometem seus homicídios tirando a vida dos jovens ou moradores que eles encontrarem pelas ruas .
    Esses homicidas oficiais tem a vantagem de esconderem-se atrás da profissão que exercem, sabem que no subconsciente cultural dos brasileiros, eles são os heróis.
   Então os jornalistas e apresentadores da mídia brasileira vão alienando  a população com essa ideia de herói,  justificando as mortes de pessoas inocentes ou envolvidas com crime como fosse realmente uma guerra urbana, para não desconstruir o herói nacional que defendem os interesses da elite branca e racista. Por isso o sucesso do filmes tipo Tropa de Elite, que tem o tal  herói Capitão Nascimento, capa da revista Veja,  que foi projetado para justificar o controle urbano, e reforçar a volta dos esquadrões da morte nas periferias, porque é nela que  encontra-se os inimigos da sociedade e dos heróis do estado. Forma quase mistica desse arquétipo de heróis que faz parte de uma ideologia de estado terrorista, que difunde medo para conter a população da periferia afastada dos bairros considerados valorizados, onde mora a população que se apropria em esquemas políticos da maior parte do PIB brasileiro.
   Esses heróis também alimentam a segurança privada, a que vende seus produtos para a população que se considera classe média, que fica assustada com medo de perder suas propriedades, então compra carros blindados, segurança para lojas, sistemas eletrônicos e etc...  Tudo para manter o capital e o controle das pessoas. Enquanto os paulistanos não parem para pensar e cobrarem os responsáveis pela retirada da grana publica, para area de segurança, que somente cresce para alimentar sua industria, o esquema do sistema estará solido e rico.
 O governador e seus secretariados são culpados por essa barbarie que está acontecendo nesse ano de 2012, essa noção de crise é fantasiosa e midiática, como qualquer produção de plano de comunicação de assessoria de imprensa . Tem que se refletir os encarceramentos da população pobre e jovem, as mortes causadas pelos seus esquadrões da morte e também mortes de oficiais que tem em sua carreira número de homicídios que  faria Adolfo Hiltler inveja-lo por não ter tido soldados tão determinados. Geraldo Alckmim deve sofrer imptimam por ser omisso com os direitos da população (habitação, saúde, educação, cultura, transporte, ir e vir, pertencer ao estado e a cidade), as mortes tem que serem encerradas e os homicidas do estado tem que serem presos, como qualquer cidadão pobre e não ficarem em prisão administrativa.

autorizo a publicação com créditos e fonte: rapperpirata.blogspot.com

segunda-feira, 12 de novembro de 2012


CONVOCAÇÃO DO COMITÊ CONTRA O GENOCÍDIO DA JUVENTUDE NEGRA E PERIFÉRICA DE SP / 
FRENTE AMPLIADA E UNIFICADA CONTRA O GENOCÍDIO DE POBRES, PRETOS E PERIFÉRICOS-SP:

Ao Governo do Estado de SP;
Ao Governo Federal;
À Sociedade Brasileira:

As redes de familiares de vítimas diretas da violência, as organizações do movimento negro, os movimentos sociais do campo e da cidade, cursinhos comunitários, sindicatos, associações, saraus periféricos, posses de hip-hop, imprensa alternativa, partidos de esquerda e várias outras entidades representativas da sociedade civil, organizados no COMITÊ DE LUTA CONTRA O GENOCÍDIO DA JUVENTUDE NEGRA E PERIFERIA DE SÃO PAULO, diante da barbárie que vivenciamos em São Paulo, onde, desde de janeiro, mais de mil pessoas foram assassinadas, a grande maioria com evidentes características de execução e, pior, com indícios da ação criminosa de grupos de extermínio compostos por policiais e/ou agentes paramilitares ligados ao estado, exige:

- Imediata reunião com o Exmo. Sr. Ministro da Justiça, Sr. José Eduardo Martins Cardozo, e sua equipe – especificamente com esta frente ampliada e unificada;
- Imediata Audiência Pública com a presença do Exmo. Sr. Governador do Estado de São Paulo, Sr.  Geraldo Alckmin, e do Exmo. Sr. Ministro da Justiça, Sr. José Eduardo Martins Cardozo;

Convocamos a toda sociedade brasileira, em geral, e a paulista em especial, a denunciar a violência do Estado e gritar por Justiça, Respeito e PAZ às comunidades periféricas, nos seguintes ATOS PÚBLICOS:

20 de Novembro – Marcha da Consciência Negra em SP – Cotas Sim, Genocídio Não, com concentração às 13h, no vão livre do Masp, na avenida Paulista, na capital paulista

22 de Novembro – Ato Contra o Genocídio, com concentração às 10h, na Praça da Sé – Centro - SP

Ato na Baixada Santista e no interior - Data a definir


São Paulo, 08 de Novembro de 2012


CONTATOS:

Débora (movimento Mães de Maio / Rede Nacional): 13-8124-9643

Douglas (UNEAFRO / Comitê ): 11-97550-2800 / 98138 - 3292

Juninho (Círculo Palmarino): 11- 9980-407244(vivo) / 97025-0442(tim)

Catarina (Coletivo Quem / grupo de psicólogos em apoio às vítimas): 11-98111-4483

Rapper Pirata: (Fórum Hip-Hop / Comitê / Campanha): 11-98216-2160


COMITÊ CONTRA O GENOCÍDIO DA JUVENTUDE NEGRA E PERIFÉRICA DE SÃO PAULO / FRENTE AMPLIADA E UNIFICADA CONTRA O GENOCÍDIO DE POBRES, PRETOS E PERIFÉRICOS:

ANEL / DCE-USP
Apropuc-SP
Associação Amparar
Banco Comunitário Nascente (São Carlos-SP)
Blog Bola e Arte
Campanha “Eu pareço suspeito?”
Campanha Contra o Genocídio da Juventude Negra
Campanha Contra o Genocídio da Juventude Negra
Campanha Reaja ou Será Mort@ (Bahia)
CDH Sapopemba
Cedeca Interlagos
Cedeca Sapopemba
Círculo Palmarino
Coletivo Construção (Diadema)
Coletivo Político QUEM
Coletivo Sarau da Casa
Coletivo Zagaia
Coletivo Zulmira Somos Nós
Comitê Popular da Copa
Comunidades Unidas (Itaquera)
Construção Coletiva (PUC-SP)
Condepe-SP
Contra-Maré.ORG
Cordão da Mentira
CSP Conlutas
Daruê Favela (Jd. Boa Vista)
Destrava-São Paulo
Espaço Cultural Latino-Americano (ECLA)
Família Rap Nacional
Força Ativa
Fórum Municipal de Hip-Hop
Frente de Lutas da Baixada Santista
FSP/USP
GEPEX-Unifesp Baixada Santista
Grupo Tortura Nunca Mais
Instituto Práxis
Jornal A Nova Demcoracia
Juventude Revolução
Kilombagem
LEAP/UfSCar
Levante Popular (Fortaleza-SP)
Levante Popular da Juventude
LPJ
Luta Popular
Mães de Maio
Mandato Dep. Fed. Vicente Cândido (PT-SP)
MMRC/CMP
MNDH
MNU
Navozavez (Favela São Remo)
Núcleo Akofena (Bahia)
Núcleo de Consciência Negra da USP
Núcleo de Consciência Negra da USP
Observatório de Violências Policiais (OVP-SP)
Pastoral Carcerária
PCB
Promove Vila Albertina
Psol-Santa Cecília
Quilombo Raça e Classe
Quilombo X(Bahia)
Rádio da Juventude (São Vicente)
Rádio Várzea
Rede de Comunidades e Movimentos Contra Violência (RJ)
Rede de Educação Cidadã
Rede Nacional de Familiares e Amig@s de Vítimas do Estado
Rede Rua
Santos Mártires
Sarau da Ademar
Sarau dos Mesquiteiros
Sarau Elo da Corrente
Sarau Perifatividade
Sindicato dos Advogados de São Paulo
Sindicato dos Metroviários - SP
Sinsprev/SP
Sintusp
SOS Racismo
Tribunal Popular
UMES
UNEAFRO
Uneafro-Itaquera
Vírus Planetário


CONTATOS:

Débora (movimento Mães de Maio / Rede Nacional): 13-8124-9643

Douglas (UNEAFRO / Comitê ): 11-97550-2800 / 98138 - 3292

Juninho (Círculo Palmarino): 11- 9980-407244(vivo) / 97025-0442(tim)

Catarina (Coletivo Quem / grupo de psicólogos em apoio às vítimas): 11-98111-4483

Rapper Pirata: (Fórum Hip-Hop / Comitê / Campanha): 11-98216-2160

terça-feira, 6 de novembro de 2012


"A juventude negra morrendo nas mãos do estado e várias atividades relacionadas ao mês da consciência negra não tocam no assunto, será que temos algo a comemorar? moramos nos piores lugares da cidade, temos os salários mais baixos, estamos nos piores postos de empregos, estamos enchendo os presídios, temos os pires índices de desenvolvimento humano, não temos acesso a saúde, as nossas escolas tem os piores níveis de rendimento, o consumo de drogas e álcool atinge grande parte da nossa população, o mapa da juventude aponta o crescimento na chance em o que o jovem preto tem de ser morto, não conseguimos ter acesso as melhores universidades, não há espaços de sociabilidade que abra o nosso universo cultural, etc.... Será mesmo que os pretos e pretas tem algo a comemorar em novembro? Só lembrando que o 20 de novembro relembramos Zumbi dos palmares que liderou o maior quilombo de resistência no brasil... Bom mas já vi que a grande maioria neste mês vão para feira preta, vão sambar, vão aos barzinhos e shoppings ao invés de frequentarem espaços de luta e de resistência... Parabéns..."
Wellington Goes Força Ativa

segunda-feira, 5 de novembro de 2012



1. Encontro da Zona Leste - fizemos encontro com 40 pessoas, foi muito positivo e trouxe gente nova e disposta. Entre os encaminhamentos saiu a manutenção de um forum regional da campanha para manter a discussão na leste. Além disso algumas pessoas compartilharam atividades que poderiam se ligar ao nosso trabalho, foi sugerido a criação das Mães da Leste, com mães de vítimas da violência e foi proposto fazer um mapeamento/criar plataforma para receber denúncias e informações sobre assassinatos ameaças e toque de recolher. Falta o povo da região seguir mobilizando para não perder o ritmo. Falta o próximo passo na região. Se precisarem falar com Mães de Maio, mandem para o Danilo: daniloccesar@gmail.com. Faltou uma ponte mais forte com Padre Ticão e Pastoral .  Instituto Alana da região do Jd Pantanal tinha vários contatos e, com cerca de 5 organizações - não identifiquei o nome da pessoa que foi ao encontro.

2. Unificação das frentes: tem havido muitas reuniões no sentido de discutir e viabilizar a  unificação das diversas frentes, entre as quais a nossa (Comitê, Campanha, 2 de outubro, Mães de Maio e outros). Em geral se chegou a alguns acordos: foco na desmilitarização da polícia e da política; necessidade de colher e organizar informações sobre mortes, toque de recolher e outras agressões nos bairros; fazer atividades de rua e conseguir mobilizar o povo; contatos com midias alternativas e/ou de grande porte para repassar informações e denúncias (discute-se em quais condições dialogar com grandes veículos). Na última reunião uma liderança do governo federal (Vicente Candido) esteve presente; foi combinado então que será agendada uma conversa com o Ministro da Justiça e o comitê contra o genocídio da juventude negra para depois do dia 08 e antes do 20; além dele esteve presente o deputado presidente da comissão de Direitos humanos da Assembleia (Adriano Diogo); Do meu ponto de vista devemos defender termos pelo menos 1 a 2 representantes na conversa com o Ministro, já que a unificação não está consolidada. Importante: dia 8 terá uma reunião no sindicato dos advogados na rua da abolição 167, perto da Camara de vereadores, 19 horas de todos os grupos.

3. Propostas de ação: com a unificação, a ideia é que façamos uma boa mobilização para a Marcha da Consciência Negra, dia 20 de novembro e talvez aconteça um ato no dia 22 na Sé. Precisamos imprimir milhares de panfletos, . A Ação pode entrar com cerca de R$ 200,00. Além disso estamos conversando se vale a pena tomar frente nessa organização das informações, criando um modo de que pessoas de várias regiões contribuam com relatos, alertas e denúncias. Por fim existe a possibilidade de uma audiência na Camara Municipal (como uma pré para audiência no ano que vem na Assembleia dos deputados) ou fazer uma atividade na zona sul, reunindo lideranças da região . A Tatiane do Cedeca Interlagos também lembrou da ação dos Cedecas de todo país que farão audiência em Brasilia no dia 22 de novembro.


Além disso segue convite do Condepe e MNDH:
O Movimento Estadual dos Direitos Humanos (regional São Paulo) convida as entidades de Direitos Humanos, movimentos sociais e familiares de pessoas que foram vitimas da violência para uma reunião com Dom Milton (das pastorais sociais) para um debate sobre as violências que estão ocorrendo em São Paulo. Não podemos continuar refém a tudo isso que está acontecendo, precisamos tomar uma posição e nos organizar não O Movimento Estadual dos Direitos Humanos (regional São dá para continuar do jeito que está.
Dia 06 de novembro às 15 horas no CONDEPE. Rua: Antonio de Godoy, 122- 11º andar. Bairro Santa Ifigênia. Fone: 3105.1693
Contato: Cheila- pelo regional São Paulo


forumhiphopeopoderpublico.blogspot.com