Translate

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

REUNIÃO DO FÓRUM

DIA 06/10/2011                            HORÁRIO 19HRS

REUNIÃO DO FÓRUM DE HIP HOP MUNICIPAL SP

LOCAL:AÇÃO EDUCATIVA
RUA GENERAL JARDIM, 660
PRX METRO REPUBLICA -SP

PAUTA
MOBILIZAÇÃO DA MARCHA 20 DE NOVEMBRO 2012
SEMANA DE HIP HOP 2012
ELABORAÇÃO DO PROJETO JUNTO NUCLEO DA CONSCIENCIA NEGRA USP
"FÓRUM HIP HOP M. SP CONTRA O GENOCÍDIO DA JUVENTUDE NEGRA - RACISMO E
VIOLENCIA DO ESTADO
Genocídio da juventude negra: Venda e consumo de drogas.


QUALQUER PESSOA INTERESSADA PODE COLAR COM NÓS...
Dia 13/10/2001 - REUNIÃO COM COORDENADORIA DA JUVENTUDE DE SP COM FÓRUM DE HIP HOP M. SP-

SEMANA DE HIP HOP 2012

RUA LIBERO BADARÓ,119  -             HORÁRIO 19HRS

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

QUE EDUCAÇÃO É ESSA?



André Luiz (Educador social e rapper).
Email:andrecorin@gmail.com


Tem muita gente trabalhando com jovens e adultos em Centro para Juventude, Abrigos, Fundação Casa entre os lugares, achando que dominam a educação; Sendo que eles são também pessoas mal educadas quando pensamos na palavra educação como algo libertador; Creio que eles sabem que a educação também serve para domesticar os humanos fazendo-os indivíduos alienados e passivos para não clamarem por mudança social.
Os profissionais sociais estão o já são iguais há alguns professores classistas, que reivindicam somente salários e calam-se refente a estrutura prisional que esta tornando-se a escola pública. Esses tais profissionais culpam as famílias, as crianças, os adolescentes e os jovens pelas mazelas politica do país, estados e municípios.
Os educadores acreditam que a educação é algo de famílias autoritárias, onde o outro somente obedece, e não manifesta a sua opinião, algo que iniciaria o dialogo e a compreensão para eliminar a violência de ontem e de hoje. Eles querem que os garotos e garotas tenham um comportamento de servidão, herança das épocas antes do Estatuto da Criança e Adolescente. Esses profissionais acreditam que o “sim senhor/a” é demonstração de educação. Isso os farão profissionais do futuro, como educar seja só produzir profissionais. Será que cidadania é feita somente de deveres? Porque querem omitir o acesso aos direitos? Não entendem que seu trabalho é garantir os direitos de cidadão em desenvolvimento; Gritar e subjulgar são as ações verbais presentes na voz dos promotores de cidadania.
Se um simples copo de vidro cai no chão, por razão de brincadeiras do sentimento de felicidades dos jovens, dá razão de alguns vozferarem os preconceitos enrustidos pelas pessoas, que permitem-se chamar de 'tios e tias” que, as que extrapolam para não olharem o outro como igual. Somente esquecem de proteger as garotas e os garotos de correm o risco de se cortarem, o pior sentirem-se culpados por acidentes, o patrimônio é mais importante. Com essa forma de refletir destroem a autoestima e autonomia social das crianças e adolescentes, valores que se constrói devagar para solida-los no amanhã.
Educar e seguir regras implantadas por gerentes sociais? Educação social vem de família? Educar é levar a luz para pessoas?
Sei que são simples questões, só que é necessário refletir quais os valores que está se agregando a palavra educação.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DO FORUM MUNICIPAL DE HIP HOP





São Paulo, 21 de Setembro de 2011.
Local: Ação Educativa


PRESENTES NA REUNIÃO: Rapper Pirata, Malvis, Geraldo, Vinão Alo Brasil, Cesão Hostil, Ice boy, Bia, Luiz.


INFORMES


Dia 02/10 sábado no Parque da Juventude situada na estação do Metro Carandiru acontecerá uma manifestação referente ao massacre no presídio do Carandiru o dia todo.
O fórum foi convidado para participar das atividades.

O Wellington saiu como Delegado Estadual na Conferencia Municipal da Juventude de SP.Apóia –lo na conferencia Estadual.

Dia 27/09 Terça-Feira ás 19hs no Sindicato dos Advogados do Estado de SP – Rua da Abolição, 167- Reunião do Comitê contra o Genocídio da Juventude Negra.

Dia 28/09 Quarta-Feira ás 18hs na Avenida São João, 313- 1° Andar Reunião do Comitê da Marcha 20 de novembro que terá como tema do Genocídio contra a juventude negra.

Pirata participou de uma reunião do Núcleo da Consciência Negra da USP na qual estão discutindo atividades referentes ao 20 de Novembro. Pirata irá trazendo os informes e discussões das reuniões.

Dia 28/09 a Bia vai dar uma entrevista sobre violência contra a mulher na WEB TV Hip-Hop Mulher às 15hs ao vivo.

Dia 29/09 formatura do Curso de DJ pelo Centro Cultural Dandara que a Bia participou do modulo básico será na ação educativa as 19h30, estão tod@s e convidad@s.!




PAUTAS

  • REUNIÃO COM COORDENADORA DE JUVENTUDE/SEMANA DE HIP HOP

Pirata e Luiz foram à Coordenadoria da Juventude dialogar com o novo coordenador que mostrou se interessado em organizar a semana de hip-hop 2012.
Terá uma nova reunião dia 30/09 ás 18h30 Rua libero Badaró, 119.


A proposta é discutir um chamamento do hip-hop de São Paulo parta construir a Semana de hip -hop de 2012.

  • HIP HOP FILMES

Está Cancelado, o Cine Campinho propôs de indicar uma nova data.

OBS. Caso eu tenha esquecido de algo por favor complementar, pois os informes foram mais longos que as pautas.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

DATAS E AÇÕES DO FÓRUM DE HIP HOP MUNICIPAL SP

DATAS E AÇÕES DO FÓRUM DE HIP HOP MUNICIPAL SP

27/09/2011 - HORÁRIO: 19HRS - COMITE CONTRA O GENOCIDIO DA JUVENTUDE NEGRA - LOCAL: SINDICATO DOS ADV - RUA DA ABOLIÇÃO - PRX CAMARA DOS VEREADORES

28/09/2011 - HORARIO: 18HRSOO - COMISSÃO DA MARCHA 20 DE NOVEMBRO 2011 - CEABRA - BOULEVARD SÃO JOÃO, 313 11º ANDAR

29/09/2011 - HORÁRIO: 19HRS00 - REUNIÃO DO FÓRUM HIP HOP MUNICIPAL SP - AÇÃO EDUCATIVA - RUA GENERAL JARDIM,660 - PRX METRÔ REPÚBLICA

30/09/2011 - HORÁRIO:18:30 - SEMANA DE HIP HOP 2012 - COORDENADORIA DE JUVENTUDE - RUA LIBERO BADARÓ, 119 TERREO 

Ata da reunião para construção das atividades do Mês da Consciência Negra 2011 em 21/09/2011.



Presentes: André (FEUSP), Kimi (FEUSP/ADUSP), Rosangela (FFLCH/ADUSP), Rapper Pirata (Fórum Hip Hop/H2O Municipal SP); Erika (Sujeito Coletivo), Leandro (NCN), Tamiris (FEUSP), Leonardo (EpM/IRI), Thiago (EpM/IRI), Neto (UneAfro), Zezé (NCN), Haidée (FFLCH/NCN), Mariana (NCN).

Objetivo: A reunião foi convocada pelo NCN para pensar e planejar atividades no Mês da Consciência Negra.
Leandro indicou a data 20/10 como prazo limite para planejamento das atividades. A partir desta data, iniciaremos a divulgação das atividades.

No início da reunião o Rapper Pirata sugeriu que o tema do mês da CN fosse ?Genocídio da Juventude Negra?, o mesmo da marcha da CN. Outras pessoas ponderaram que deveríamos discutir prioritariamente ações afirmativas, por ser um tema muito relacionado com a história do NCN e pela ausência desse debate na USP.
Pirata sugeriu o título ?Acesso Afirmativo?; Leandro propôs ?Acesso Afirmativo ? Reparações Históricas?.

ATIVIDADES PROPOSTAS:
Rosangela e Kimi informaram que a ADUSP irá organizar um debate sobre COTAS NA USP em novembro, porém a data ainda não definida. Esta atividade entrará na programação do NCN.

Thiago e Léo - Educar para o Mundo ? EpM: visita de estudantes do ensino fundamental II da EME Infante Dom Henrique ao campus e passagem no Núcleo.
Tema: intolerância e racismo.
Atividade: oficina seguida de discussão.
Quando: segunda semana de novembro ? data não definida.

Rapper Pirata: Fórum Hip Hop vai discutir genocídio e drogadição.

Tamiris indicou como tema: papel da Faculdade de Educação na superação do racismo.
Sugeriu que os debates fossem realizados na FEUSP.

O local das atividades ainda não foi definido. Foram propostos vários espaços, inclusive aqueles que são tradicionalmente mais refratários ao tema, como a FEA.

Público alvo: foi sugerido trazer pessoas que estão fora da universidade e são interessadas no debate sobre cotas na universidade.

Próxima reunião:
trazer as propostas sistematizadas.

Foi sugerido que a próxima reunião fosse na quarta-feira 28/09, mas algumas pessoas estão envolvidas com a construção da Marcha da CN na mesma data, então gostaria de saber do grupo se podemos nos reunir em outra data.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

PROPOSTA PARA SEMANA NA USP


Proposta de construição da Semana da Consciência Negra na USP.

A partir do nosso diálogo e mantenho a idéia da semana chamar “Acesso Afirmativo”.
A questão do acesso é que a população brasileira de ancestralidade africana e nativa não tem a sua garantia de direito pleno do estado, que resultada-se como nação. As politicas públicas são voltada para manter uma minoria que conhecemos como elite, enquanto uma parcela sobrevive com acesso limitado para sentirem-se como classe média e uma grande parte que não tem acesso nenhum de seus direitos, os nossos que estão na miséria que é conhecida com lupem, pessoas que necessitam de politicas efetivas do estado.
Saber notório que o sexto artigo da constituição é o grande direcionador dos impostos que todos 190 milhões pagam, esses impostos que tornariam-se serviços e teríamos a pluralidade desse acesso.
A politicas afirmativas transcendem a educação, tanto que no EUA todas as empresas que tem negócios com o estado tem que ter a sua representatividade no quadro de trabalhadores. Só discutir cotas nas educação ainda é o minimo , até chegar as reparações.

Então Acesso Afirmativo são ações que se relacionam a partir dessas idéias, sabemos que há a  logica de outras várias questões que ainda defenderiam a idéia. A intenção é aprofundar o conhecimento e realizarmos uma semana com diversos conflitos , para formar um conhecimento possível como transformador.


Propostas para o evento.
RACISMO E JUSTIÇA
A dificuldade da população negra e pobre para acessar seus direitos na legislação brasileira
RACISMO E
MORADIA
A politica das gestões públicas de criminalização dos movimentos de moradia
RACISMO E
EDUCAÇÃO
Implantação dos estudos sobre a história do continente Africano e a ancestralidade no Brasil na sala de aula
RACISMO E
TRABALHO
Trabalho escravo e subemprego nas empresas estrangeiras e brasileira
RACISMO E
VIOLENCIA DO ESTADO
Genocídio da juventude negra: Venda e consumo de drogas.
RACISMO E UNIVERSIDADE
Luta dos movimento dos estudantes negros na USP
MEDIADOR





PESQUISADOR





PESQUISADOR





MOVIMENTO SOCIAL
























Apresentações Artísticas
Vídeos
Teatro
Hip Hop
Grupos afros
Sarau de poesia de textos produzidos por representantes históricos do movimento negro.
Luis Gama, Abdias, Milton Santos entre outras e outros.

Fotos históricas pretas.


ESTUDOS BIBLIOTECA SOLANO TRINDAD


Resumo do Grupo de Estudos Emancipação Humana realizado no dia 27/08/2011 na Biblioteca Comunitária Solano Trindade.

Texto: Divisão do Trabalho e Manufatura – O Capital livro I, vol. I

Uma das características do trabalho humano é a cooperação. A humanidade ao longo de sua existência tem desde os primórdios tem atuado em grupo e essa vida social engendra no mínimo que as pessoas transformem a natureza para satisfação de necessidades e produção da própria vida. Para a efetivação do fazer histórico que é a produção e reprodução da vida, desde tempos remotos, seja na fase coletora, seja na fase de plantio e domesticação de animais, os homens tem cooperados entre si para a superação e realização de um bem comum. Essa cooperação de forma livre e associado vai ganhar novos contornos no curso da história da civilização. E Marx, na sua brilhante obra que estudada a sociabilidade humana sob a regência do Capital, apresenta a cooperação e o artesanato (na forma clássica de ofícios) como condições sine quannon para o surgimento da manufatura em dada sociabilidade.

A cooperação baseada na divisão do trabalho adquire sua forma clássica na manufatura. Como forma característica do processo de produção capitalista ela predomina durante o período manufatureiro propriamente dito, que, grosso modo, dura de meados do século XVI até o último terço do século XVIII”.

Podemos enfatizar que no período manufatureiro, apropriado do artesanato, as oficinas reúnem os trabalhadores de diferentes ofícios para a produção de mercadorias. “A manufatura origina-se de modo duplo. Em um modo, trabalhadores de diversos ofícios autônomos, por cujas mãos tem de passar um produto até o acabamento final, são reunidos em uma oficina sob o comando de um mesmo capitalista”.

Neste modelo de produção vemos o principiar de um trabalhador unilateral, que atua de forma parcial, em ofícios específicos. É o início da fragmentação das atividades produtivas, a pormenorização da produção na oficina, cada qual atuando em seu ofício: “O costureiro, o serralheiro, o correeiro etc., que se ocupam apenas com a feitura de carruagens, perdem pouco a pouco com o costume a capacidade de exercer seu antigo ofício em toda a sua extensão”.

O que Marx faz brotar das análises da Manufatura é que a mercadoria é um produto social que congrega diversos artesãos, fragmentados, parcelados atuando de forma sistemática e cooperada.
Vejamos como ele define essa dupla forma de labor:

“A origem da manufatura, sua formação a partir do artesanato, é portanto dúplice. De um lado, ela parte da combinação de ofícios autônomos de diferentes espécies, que são despidos de sua autonomia e tornados unilaterais até o ponto em que constituem apenas operações parciais que se complementam mutuamente no processo de produção de uma única e mesma mercadoria. De outro lado, ela parte da cooperação de artífices da mesma espécie, decompõe o mesmo ofício individual em suas diversas operações particulares e as isola e as torna autônomas até o ponto em que cada uma delas torna-se função exclusiva de um trabalhador específico. Por um lado a manufatura introduz, portanto, a divisão do trabalho em um processo de produção ou a desenvolve mais; por outro lado, ela combina ofícios anteriormente separados. Qualquer que seja seu ponto particular de partida, sua figura final é a mesma — um mecanismo de produção, cujos órgãos são seres humanos”.


E prossegue o mestre “...antes de mais nada, a análise do processo de produção em suas fases particulares coincide inteiramente com a decomposição de uma atividade artesanal em suas diversas operações parciais. Precisamente por continuar sendo a habilidade manual a base do processo de produção é que cada trabalhador é apropriado exclusivamente para uma função parcial e sua força de trabalho é transformada por toda vida em órgão dessa função parcial”.





Características da Divisão Social do Trabalho na Sociedade e na Manufatura



DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO


SOCIEDADE

MANUFATURA

Característica de todas as sociabilidades e formações sociais
Trabalho executado em sociedade e através dela
Especialidades Produtivas
Característica do trabalho humano
A divisão do trabalho começa com a análise do processo
Divide a sociedade em entre ocupações, ramos da produção
Forçada, caótica, anárquica e determinada pelo mercado
Troca de produtos como mercadoria
Subdivide a sociedade
Fortalece o indivíduo e a espécie

Subdivisão sistemática do trabalho e de cada especialidade em operações limitadas
Fenômeno da fragmentação e distribuição de tarefas
Parcelamento dos processos de feitura do produto em numerosas operações executadas por diferentes trabalhadores
Produto peculiar da sociedade capitalista
Divisão pormenorizada do trabalho destrói ocupações
Impossibilita o trabalhador de acompanhar o processo completo e de produção
Imposta pelo planejamento e controle
Apropriação individual do produto pelo capitalista
Subdivide o homem
Crime contra a pessoa e contra a humanidade
Princípio de Babbage “Dividir os ofícios barateia o suas partes numa sociedade baseada na compra e venda da força de trabalho”.
A força de trabalho vira mercadoria.
Toda a fase do processo de trabalho é divorciada, tão longe, quanto possível, do conhecimento e preparo especial e reduzida a simples trabalho.






Divisão do Trabalho na Manufatura e Divisão do Trabalho na Sociedade

A Manufatura se configura no trabalhador parcial, suas ferramentas e seus mecanismos. Por outro lado o fundamento da produção de mercadorias apresenta uma interação entre a divisão manufatureira do trabalho e a divisão social do trabalho.
Por divisão social do trabalho entendemos a separação da produção social em grandes ramos: Agricultura, Indústria e Comércio, ou seja, é aquela divisão da produção de mercadorias que aprendemos no ensino fundamental em setores primário, secundário e terciário
A divisão social do trabalho na sociedade e na manufatura se diferenciam em grau e espécie, pois a divisão do trabalho na sociedade é geral enquanto a outra é individualizada, singularizada. Chegando a última a dividir as profissões e até mesmo dividir os trabalhadores de forma que diversos destes elaborem conjuntamente uma única mercadoria.
A primeira divisão do trabalho é aquela que chamamos de geral; distinguindo agricultores, manufatores e comerciantes. A segunda seria a especial, cuja divisão de ramo de trabalho em espécies e a terceira divisão do trabalho pode ser qualificada como divisão de tarefas, pois ela se estabelece em cada ofício e profissão, ocorre na manufatura e na maioria das oficinas.
Para Marx, a divisão do trabalho começa, quando povos passam a trocar seus excedentes produtivos, cada povo ao produzir determinado tipo de alimento, em determinada região, com diferentes meios de produção e de subsistência, baseado no deu modo de produção, modo de vida e diversidade. Com a produção e reprodução da vida, o crescimento da densidade demográfica, a diversidade de povos e de produtos, propiciou o intercâmbio entre povos e não entre indivíduos. Essa troca recíproca produtos mais tarde tomou a forma de trocas dos produtos em mercadorias. A troca estabeleceu conexões entre ramos diferentes de produção e transformou-os em atividades interdependentes no conjunto da produção social. A troca entre ramos de produção diversos e independentes entre si é que vai engendrar a divisão social do trabalho.
Se a condição para a divisão social do trabalho é a expansão das capacidades produtivas entres ramos diferentes de atividades baseados e dependentes na troca de produtos, convertida em circulação de mercadorias. Por outro lado, a manufatura, tem como fundamento e condições objetivas, a cooperação entre as forças de trabalho coletiva, o emprego de certos números de trabalhadores na oficina e a diversificação de ofícios. Que por sua vez diferenciará as ferramentas de trabalho e cada vez mais os ofícios, culminando na separação e independências desses ofícios. Sendo que os trabalhos parciais podem desagregar-se e transformar-se em novos ofícios independentes. Para aperfeiçoar a divisão do trabalho na manufatura, o mesmo ramo de produção é subdividido em manufaturas diversas.
A característica central da divisão manufatureira do trabalho é que o trabalhador parcial não produz nenhuma mercadoria, só o produto coletivo dos trabalhadores parciais é que se transformam em mercadorias. “A divisão manufatureira do trabalho pressupõe concentração dos meios de produção nas mãos de um capitalista” Na divisão manufatureira do trabalho, o trabalhador é condenado a executar eternamente uma operação parcial e sua subordinação completa ao capitalista.






domingo, 18 de setembro de 2011


DIVULGUE! COLE! DEBATA SUA HISTÓRIA E VENHA CONSTRUÍ-LA JUNTO ! CRITIQUE! CONSTRUA! REVOLTE-SE! VIVA!

ESTÁ EM ANEXO E O VIDEO NO YOU TUBE.

AI! TENHA RESPONSABILIDADE! NÃO FRAGMENTE A NOSSA HISTÓRIA!  VAMOS  JUNTOS NA PAULISTA! CHEGA DE CONTROLE, EXIJA MUDANÇA A PARTIR DE SUA PERSPECTIVA! SOMOS CONSCIENTE TODOS OS DIAS, E 20 DE NOVEMBRO JUNTAMOS NOSSAS ENERGIAS E RESPEITAMOS OS QUE VIERAM ANTES!
 ENTÃO TRU E GAROTA, A LUTA CONTINUA, ATÉ A MAIORIA CONSEGUIR VIVER E DEIXA DE SOBREVIVER.
NÃO FRAGMENTE! TENHA RESPONSABILIDADE HISTÓRICA!

FALO!
RAPPER PIRATA, SIMPLESMENTE RUA

sábado, 17 de setembro de 2011

DATAS DO FÓRUM DE HIP HOP MUNICIPAL SP


DATAS DO FÓRUM DE HIP HOP MUNICIPAL SP
17/09/2011  09:00  - CONFERENCIA DE JUVENTUDE SP - UNIV SAO JUDAS - MOOCA

18/09/2011 09:00 - MARCHA 20 DE NOVEMBRO  - APEOSP SP - PRAÇA DA REPÚBLICA .

21/09/2011  19:00 - NUCLEO DA CONSCIENCIA NEGRA DA USP (REUNIÃO)

22/09/2011  19:00 REUNIÃO DO FÓRUM NA AÇÃO EDUCATIVA - GENERAL JARDIM , 660 - SP - PRX METRO REPÚBLICA.

30/09/2011 - 18:30  COORDENADORIA DE JUVENTUDE SP - SEMANA DE HIP HOP 2011 - RUA LIBERO BADARÓ, 119 







--
Oi! Visite.
MY SPACE clique http://www.myspace.com/rapperpirata
Blogger Rapper Pirata
http://rapperpirata.blogspot.com
Orkut clique http://www.orkut.com/Home.aspx?xid=1849091096719757289
FONE: 55-11-8216-2160
EMAIL: rapperpirata@gmail.com

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Resumo da reunião do Fórum de Hip Hop realizada no dia 01/09/2011


Alguns informes:

· Dia 12/09 reunião as 11h00 com a coordenadoria de juventude para discussão da semana de hip hop de 2012;

· O núcleo de consciência negra da USP convida o fórum de hip hop para participar das reuniões que organizara a semana da consciência negra da USP;

· Dia 13/09 reunião do comitê contra o genocídio da juventude preta;



Após os informes a primeira pauta a ser discutida pelo fórum foi o Encontro regional de fóruns em São Bernardo no dia 08/09 a partir das 19h00, todos os membros estão convocados para participarem da reunião que tem por finalidade tentar chamar uma articulação para possivelmente estes fóruns construírem um encontro estadual de hip hop.

A seguir a segunda pauta a ser discutida foi a da próxima edição do hip hop filmes, o evento ocorrerá em guaianazes no dia 24/09 no cine campinho, foi tirado uma agenda para o hip hop filmes onde o fórum listou alguns lugares possíveis para a realização das próximas edições, os locais indicados foram estes:

· CEU Morro Doce dia 05 de novembro, contato realizado pelo Ice Boy;

· Espaço no Jardim Mirian na Zona Sul, contato realizado pelo Luís;

· Intervenção a ser realizado num abrigo da zona leste no dia 11/09 a partir das 13h00, contato realizado pelo Geraldo;



Em seguido o fórum pautou algumas desapropriações que estão ocorrendo na região da zona sul e como podemos somar com o movimento de moradia local contra essas desapropriações, discussão apenas iniciada e que deve ser aprofundada.



Para finalizar, o fórum irá começar a organizar uma campanha chamada “F. Kassab” a idéia é elaborar materiais de diferentes espécies trazendo para o público os ataques que a atual administração vem fazendo nas periferias.

20 DE NOVEMBRO MOBILIZAÇÃO

segunda-feira, 12 de setembro de 2011


Seguem os pontos levantados e discutidos durante a reunião dos coletivos de Hip-Hop do estado de São Paulo. Compunham essa reunião: Usina Preta (Mauá); Fórum de hip-hop de São Paulo (capital); Casa do Hip-Hop de Diadema e Fórum de Hip-Hop de São Bernardo do Campo.

* Amadurecer a proposta de um "Encontro Estadual de Hip-Hop". Será esse o nosso objetivo?

Fazer conversas iniciais para que o coletivo que venha a se formar construa pautas em comum

* Cruzamento das agendas 

* Encontros mensais (regiões e datas diferentes - de acordo com a agenda dos coletivos que "sediarão" a reunião)


* Próximo encontro em Peruz (Data em aberto)