Translate

quarta-feira, 19 de julho de 2006

SAMPA HIP HOP E JUVENTUDE

SAMPA HIP HOP E JUVENTUDE
(22 ANOS DE HIP HOP)

1. O Fórum “Hip Hop e o Poder Público Municipal”
O Fórum “Hip Hop e o Poder Público Municipal” é um espaço aberto de diálogo entre posses, grupos e integrantes do movimento Hip Hop da cidade e o Poder Público de São Paulo.
Desde agosto de 2005, o fórum, representado por mais de trinta coletivos de Hip Hop de diversas regiões da cidade, e pela Coordenadoria de Juventude, ligada à Secretaria Especial de Participação e Parceria da Prefeitura de São Paulo, tem se reunido para discutir políticas públicas de juventude a partir das demandas do Movimento Hip Hop.
O fórum tem por objetivo, por tanto:
1. Aproximar os jovens do movimento Hip Hop e o Poder Público;
2. Criar canais de diálogo ao interior do movimento;
3. Apresentar projetos estratégicos para as Secretarias que possam contribuir para o desenvolvimento de políticas públicas que estejam em sintonia com as preocupações do movimento Hip Hop.
4. Difundir o movimento Hip Hop
2. Justificativa
São Paulo é a cidade que abriga a maior parte dos jovens do Movimento Hip Hop e é a capital do Hip Hop do Brasil, pois, foi em São Paulo, em meados da década de 1980, mais exatamente na rua 24 de maio onde tudo começou, posteriormente parte do Movimento migrou para Praça Roosevelt e se consolidou no Metrô São Bento.
O Movimento Hip Hop tem como integrantes em sua maioria uma população jovem que busca por meio dos quatro elementos um meio de socialização do patrimônio cultural africano e questionamento das condições de vida e denuncia do racismo, preconceito e discriminação racial.
No interior do Movimento Hip Hop a maioria das posses perceberam a necessidade de identificar as principais demandas e carências e desenhar um conjunto de ações articuladas que possam ser desenvolvidas de forma integral na comunidade.
Considera-se de grande importância a celebração do 22º Aniversário do Movimento Hip Hop, principalmente, ao que se refere ao Fórum Hip Hop e o Poder Público Municipal que primou pela discussão e proposição de Políticas Públicas de Juventude. A partir desse canal de comunicação entre o Hip Hop e o Poder Público Municipal os jovens deste movimento puderam organizar uma agenda de discussão sobre políticas públicas para a cidade de São Paulo. Portanto, pretende-se neste evento recolher assinaturas para elaboração de uma lei de iniciativa popular recomendando ao Poder Executivo Municipal, a Virada Cultural como uma Política Pública Permanente.
Os jovens do Movimento Hip Hop identificaram que a Virada Cultural promove o encontro dos agentes do Poder Público, por intermédio de seus órgãos, com os mais diversos segmentos de juventude da cidade, por meio de apresentações artísticas e, principalmente a democratização do patrimônio cultural, incluindo os jovens de todas as classes sociais em espaços de cultura e cidadania.
O 22º Aniversário do Hip Hop a ser promovido pela Coordenadoria da Juventude e Secretaria Especial de Participação e Parceria conjuntamente com o Fórum “Hip Hop e o Poder Público Municipal” pretende mostrar durante o mês de agosto todas as manifestações artísticas ligadas ao Hip Hop. Além de shows gratuitos, mostra de vídeo, debates, performance de break e de DJ’s, graffiti, MC’s, Skate e Bykers.
Nesta festa a Coordenadoria traz mais uma novidade: a mobilização da juventude para a criação de uma Lei de Iniciativa Popular sobre a Virada Cultural, uma iniciativa da comunidade Hip Hop liderado pelo Fórum “Hip Hop e o Poder Público Municipal”, tudo isso sem perder de vista as questões raciais e da cultura negra.
3. Objetivo do Evento
1. Difundir uma cultura de paz e cidadania afirmando que o Hip Hop não é cúmplice da violência.
2. Demonstrar um panorama do Hip Hop sobre discussão racial e suas formas de manifestações, para que a sociedade possa entender esse movimento juvenil, suas propostas políticas e ações sociais, baseadas nos quatro elementos que compõem o Hip Hop: MC, DJ, Break e Graffiti.
3. Iniciar um diálogo concreto com a juventude, por meio de bate-papo e a coleta de assinaturas para proposta de projeto de lei de iniciativa popular tornando Política de Estado, a Virada Cultural.

3.2. Data do Evento: de 21 de agosto à 16 de setembro

4.1. Metodologia
Será um mês de atividades aos sábados e domingos sob responsabilidade da Secretaria Especial de Participação e Parceria, por intermédio da Coordenadoria da Juventude, dentre elas, coleta de assinaturas, shows, debate-papo sobre a Virada Cultural e segurança pública, apresentação dos quatro elementos do hip hop, skate e biker.
Os debate-papos terão representantes dos segmentos: Poder Público Local, OAB, Direitos Humanos, Hip Hop, Organizações Sociais e Segurança Pública, o tempo máximo do debate-papo será de 150 minutos.
Estas atividades serão desenvolvidas nos seguintes locais:
CEU’s: Navegantes, Pêra Marmelo, Jambeiro e Aricanduva; OAB – Ordem dos Advogados do Brasil; Câmara Municipal de São Paulo, Universidade de São Paulo – USP; Galeria Olido; Cento Cultural da Juventude; e uma Feira Hip Hop Boulevard São João.
4.2. Formato
As atividades do evento serão realizadas em forma de: oficinas/workshop de break, mc, dj e graffiti; bate-papo com os temas “O Hip Hop não é Cúmplice da Violência” e “O Estereótipo do Meliante”; Palestra Interativa; apresentações artísticas dos quatro elementos do Hip Hop.
No Centro Cultural da Juventude e nos CEU’s Navegantes, Pêra Marmelo e Jambeiro no período da manhã com início às 10h dos dias 26 de agosto, 02, 03, 09, de setembro ocorrerão oficinas workshop de break, mc, dj e graffiti, duração de duas horas ministradas por dois oficineiros, atividades de Skate e Bikers; à tarde a partir das 13 horas terá inicio a Palestra Interativa sobre a História do Hip Hop acompanhada de participação do público na interpretação dos quatro elementos que compõem o Hip Hop, tempo previsto de 90 minutos; às 14h e 30 minutos ocorre o debate-papo “ O Estereótipo do Meliante”, uma discussão sobre a onda de violência que se abateu na cidade desencadeada com os ataques do PCC e o perfil dos jovens que estão sendo executados por grupos de extermínio. Os bate-papos contarão com representantes dos segmentos: Poder Público Local, OAB, Direitos Humanos, Hip Hop, Organizações Sociais e Segurança Pública, o tempo máximo do bate-papo será de 150 minutos. Às 17 horas terá início a apresentação artística dos MC’s, DJ’s, Breaking e Graffiti, em forma de batalhas, Freestyle e música Rap, serão contratados, 4 Crew’s de Dança (Break), 4 DJ’s, 4 Graffiteiros e 4 grupos de Rap, sendo: dois da região, um do Fórum “Hip Hop e o Poder Público Municipal e um grupo de Rap Convidado. A duração das apresentações artísticas serão de 180 minutos. O encerramento geral do evento será as 20 horas.
De 21 a 25 de agosto com início às 18 horas e término às 22h, na Universidade de São Paulo – USP haverá um ciclo de debate-papo com o objetivo de abordar assuntos ligados à discriminação racial, violência policial e políticas de juventude, Hip Hop. Seguido de eventos culturais.
Na Galeria Olido, dias 16/09/06 com início às 10h ocorrerá oficinas de break, mc, dj e graffiti; apresentação de vídeo clipes e curtas no Cinema Olido; Debate “Virada Cultural Política Pública Permanente ou Ação de Governo?", mediado pelo Fórum, tendo como palestrantes um representante da secretaria de cultura, Netinho Secretário de Participação e Parceria e um representante do Hip Hop; Palestra Interativa sobre a História do Hip Hop na sala Paissandu, o encerramento das atividades na Galeria Olido será às 18 horas.
Às 10h no Boulevard São João terá início a Feira Hip Hop com 20 tendas/standes sobre as produções materiais do Hip Hop: Estilo Hip Hop, Gastronomia, Artesanato e Mutimídia: Serão apresentados penteados, roupas, beleza e cosméticos associados ao mundo do Hip Hop; Artes Visuais Exposições: pinturas e graffites; artesanato, comidas típicas, CD’s, DVD’s; batalhas de dj’s, mc’s, b.boys/b.girls e graffiti. O encerramento das atividades do “Sampa Hip Hop e Juventude” (22º Aniversário do Hip Hop) está previsto para as 20 horas.


5. Programação das Atividade

Evento 01
PROGRAMAÇÃO VIVÊNCIAS Local Horário
DATA Sampa Hip Hop e Juventude 18h – 22h
21/08/06 22 anos de Hip Hop “O Hip Hop Não é Cúmplice da Violência” USP
apresentação Hip Hop: McAbertura do Sampa Hip Hop e JuventudeCarin Carrer Gomes – Mestranda UspGuilherme Aranha Coelho - Coordenador da JuventudeLuiz Lobato - Representante Fórum Hip Hop e o Poder Público Municipal CONFERÊNCIA DE ABERTURADesigualdade de São Paulo, a maior Violência.Maria Adélia de Souza. (Geógrafa e Professora Emérita)Djalma Lopes Góes (Nando) (Estudante de Ciências Sociais, Rapper e Integrante Fórum Hip Hop e o Poder Público Municipal)

22/08/06 Sampa Hip Hop e Juventude “O Hip Hop Não é Cúmplice da Violência” USP 18h – 22h
apresentação Hip Hop: DjHip Hop e Violência, o que a universidade tem a dizer?Mediador Rapper Pirata (Jornalista, Mc e Integrante Fórum Hip Hop e o Poder Público Municipal) Lucas Melgaço (Doutorando e professor de geografia)Marília Patelli (Mestranda economia e integrante Fórum Hip Hop)Dinha (Graduada em Letras e representante do Núcleo Cultural Poder e Revolução)

23/08/06 22 anos de Hip Hop “O Hip Hop Não é Cúmplice da Violência” USP 18h – 22h
apresentação Hip Hop: GrafittiViolência, Preconceito e ResistênciaMediador: Tito (Educador e Integrante Fórum Hip Hop e o Poder Público Municipal)Leon Crochík (Professor Doutor de Psicologia)Sérgio Adorno (Professor Doutor de Sociologia e do Núcleo Estudos da Violência)Elizabeth (Psicóloga)

24/08/06 22 anos de Hip Hop “O Hip Hop Não é Cúmplice da Violência” USP 18h – 22h
apresentação Hip Hop: BreakA violência em São Paulo: o lugar como futuro e a cultura como revancheMediador: Nando (Graduando em Ciencias Sociais, Rapper e Integrante Fórum Hip Hop e o Poder Público Municipal) Vima Lia de Rossi Martin (Professora Doutora Literatura)Maria do Fetal (Doutoranda de Geografia e militante do MST)Ferréz (Becos e Vielas)

25/08/06 22 anos de Hip Hop “O Hip Hop Não é Cúmplice da Violência” USP 18h – 22h
apresentação Hip Hop de São RemoO Hip Hop, movimento de resistência às Violências, Movimento à Vida!Mediador: Xdee (Dj e Integrante Fórum Hip Hop e o Poder Público Municipal)Núcleo Cultural Força AtivaMaria Rita Kehl (Professora Doutora de Psicologia)Eduardo (MH2R)



Evento 02
PROGRAMAÇÃO VIVÊNCIAS Local Horário
DATA 22 ANOS
DE HIP HOP
26/08/06 4 Elementos do Hip Hop Oficina CEU Navegantes 10h - 18h
Break: Angélica (Angels Girls) e Gerson (Afro-Break) 10h - 12h
Dj: No e Big Edie (Contrafluxo)
Graffiti: Ricardo (Projeto Aprendiz) e Panther (4 Elos)
Mc: KBR (Nasa Rap) e CB (Quartel General)
Skate: Malvez 10h – 12h
Biker: Darkside, Dak BMX, Jhonny Bik
Debate-papo " O Esteriótipo do Meliante" Anfiteatro 13h – 15h
Subprefeito Valdir Ferreira.
Dinha - jovens agentes dos direitos humanos
Gaspar
Nego chic
Ferrez
Geraldo diretor da unas
Silvia de Guimaraes.
Representante do CEDECA
Segurança Coronel José Roberto
Palestra Interativa: "Hip Hop em Movimento" 15h – 16h'
Apresentação Artística 16h - 18h
Break: Crews Afro-Break e Angels Girls
Dj: Clã Leste
Graffiti: Lady CHT e Mout
Mc: Ataque de Expressão, Stilo Radical, Revolução Periférica e Ídolo

Nenhum comentário: